Detalhes e Pormenores

Archive for Agosto 2009

Quase, quase em fim de férias, vale a pena partilhar duas imagens captadas num dos locais onde estive, porque gostei dos “escritos” – um cantinho de Portugal!

F1000023

Assim o considero 🙂

F1000024

Sem dúvida, mas faça-se o “favor” de ser feliz em todos os lugares…

Como esta andorinha que “tomava conta” da porta de entrada 🙂

F1000025

Por fim uma singela flor do jardim!

F1000021

Anúncios

Em retorno à Estética e com o ABC de Estética pretende-se de uma forma simples, a apresentação do léxico utilizado no campo específico da estética. Tarefa difícil pela riqueza e variedade da terminologia e em  particular, pelos limites (ou não) estabelecidos entre a terminologia da estética e a terminologia das teorias e da crítica de cada uma das artes.

LETRA C

Crítica

As diversas acepções da palavra crítica – exame, análise, juízo – derivam de kritiké téchné – a arte de julgar – mantendo uma relação com palavras gregas de igual raíz: Krínein (distinguir, julgar, no sentido jurídico-político), kriterion (regra, princípio, norma de juízo ou de acção, critério), krísis (escolha, decisão, crise – também com o significado de ponto de viragem de uma enfermidade).

Na antiguidade a palavra remetia a maior parte das vezes para uma capacidade genérica de descriminar. Apenas com Kant surje a novidade de um juízo, o juízo estético que, não sendo derivável de regras universais explicitáveis, intelectuais, seja no entanto redutível a um arbítrio incontrolado, a determinações empíricas ou apenas individuais.

Como o próprio Kant diz “O nosso tempo é o tempo da crítica à qual tudo deve estar sujeito” (C.R.P., Pref. 1781, p.7, nota 1) porque “Não há uma ciência do belo, apenas uma crítica deste” (C.F.J., III, & 44), pelo que a Crítica da Faculdade do Juízo constitui hoje um ponto de referência para a estética.

a

Abstracção -genericamente é o processo através do qual, partindo de dados sensíveis, se produz o inteligível ou universal, e também o acto com que se isolam alguns aspectos relevantes de um objecto ou de uma experiência complexa.

Do latim abstractio foi introduzido no léxico filosófico ocidental por Boécio.

Do ponto de vista conceptual, a pesquisa sobre a abstracção acompanha a filosofia, a lógica e a psicologia à séculos.

ATT00015

Quando o teu filho…

Te procurar com o olhar,

Olha-o.

Te estender os braços,

Abraça-o.

Te procurar com a boca,

Beija-o.

Te quiser falar,

Escuta-o.

Se sentir desamparado,

Ampara-o.

Se sentir só,

Acompanha-o.

Te pedir para o deixares só,

Afasta-te.

Te pedir para voltar,

Recebe-o.

Se sentir triste,

Consola-o.

Estiver a trabalhar,

Anima-o.

Estiver desanimado,

Encoraja-o.

Perder a esperança,

Fala-lhe de Deus.

Arnaldo Rousky

letra_e

Experiência estética/Experiência vivida

Conceito que obteve muito sucesso nos últimos dois séculos, refletindo assim a consciência tipicamente moderna da autonomia da forma de vida estética. A experiência estética é estruturalmente polivalente, pressupondo diferentes concepções do objecto específico da estética.

A experiência vivida é experiência imediata do real, é um médium através do qual a vida, num certo sentido, se interpreta a si própria enfatizando os momentos mais significativos pessoalmente experimentados pela pessoa.

Imagem1

Nada como mudar o cenário!

A brisa suave do mar trás consigo o cheiro a maresia e os dias longos das férias. Paz, bem-estar, conforto… e preguiçar, que também faz parte da vida! Re-temperando energias pois o ano é longo…

Férias Boas!!!


Agosto 2009
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Pudera eu ter o dom de um poeta ou músico... para ser capaz de colocar em verso ou melodia o sentimento e o valor de uma amizade!

Flickr Photos

Páginas

Os mais clicados

  • Nenhum