Detalhes e Pormenores

Archive for Maio 2009

 

“Educar consiste, em oferecer e transmitir um modo de viver e de entender a vida; por isso, a escola, enquanto instituição, deve ser um espaço de relação, uma comunidade, em que se vivem os valores que são transmitidos como formas de viver e de entender a vida às gerações mais novas, através de um processo de auto-tarefa comprometida e ajudada”

Reimão

Anúncios

 

2

A Bioética encontra-se na intersecção de um grande número de disciplinas, como a Medicina, a Enfermagem, a Biologia, a Ética Filosófica, o Direito, entre outras, não menos importantes.

“Todos os problemas da bioética, além de serem o objecto, são também aquilo que está em jogo nas controvérsias ideológicas e filosóficas, que apresentam dimensões especulativas importantes e, sobretudo, prolongamentos práticos associados a opções políticas e de sociedade.”

A abordagem multidisciplinar e plural conjugada constitui um ideal com um acesso na realidade muito difícil. É fundamental respeitar essas exigências, se pretendemos fazer justiça à realidade bioética. Os temas da bioética não devem ser inteiramente tratados por especialistas com a mesma orientação profissional na discussão das temáticas, dos problemas e dilemas éticos, do compromisso filosófico, embora que não seja possível cada profissional desaparecer por trás de uma neutralidade aparente. Pois cada um de nós tem e deixa a sua marca disciplinar e filosófica naquilo que escreve e, pela viagem conjunta somos capazes de matizar e completar as mais diversas questões éticas.

Embora que só possível através da educação, na esteira do pensamento de Savater (2006: 25) “educar é crer na perfectibilidade humana, na capacidade inata de aprender e no desejo de saber que a anima, no haver coisas (símbolos, técnicas, valores, memórias, factos…) que podem ser sabidos e que merecem sê-lo, na possibilidade de nos podermos – nós os homens – melhorar uns aos outros por intermédio do conhecimento”.

ATT00004

A Águia e o Pardal

O sol anunciava o final de mais um dia e lá, entre as árvores, estava Andala, um pardal que não se cansava de observar Yan, a grande águia.

O seu vôo preciso, perfeito, enchia os seus olhos de admiração. Sentia vontade de voar como a águia, mas não sabia como o fazer. Sentia vontade de ser forte como a águia, mas não conseguia ser assim. Todavia não se cansava de segui-la por entre as árvores só para vislumbrar tal beleza.

Um dia estva a voar por entre a mata a observar o vôo de Yan e, de repente a águia desapareceu da sua visão. Voou mais rápido para reencontrá-la, mas a águia tinha desaparecido. Foi quando levou um grande susto: deparou com uma forma muito repentina com a grande águia à sua frente.

Tentou conter o seu vôo, mas foi impossível, acabando batendo de frente com o belo pássaro. Caiu desnorteado no chão e quando voltou a si, viu aquele pássaro imenso bem ao seu lado observando-o. Sentiu um calafrio no peito, as suas asas ficaram arrepiadas e pôs-se em posição de luta.

A águia na sua quietude apenas o olhava calma e mansamente e, com uma expressão séria, perguntou-lhe:

 – Porque me estás a vigiar, Andala?

 – Quero ser uma águia como tu, Yan. Mas o meu vôo é baixo, pois as minhas asas são curtas e vislumbro pouco por não conseguir ultrapassar os meus limites.

 – E como te sentes amigo sem poder desfrutar, usufruir de tudo aquilo que está além do que podes alcançar com as tuas pequenas asas?

 – Sinto tristeza. Uma profunda tristeza. A vontade é muito grande de realizar este sonho.

O pardal suspirou olhando para o chão e disse:

 – Todos os dias acordo muito cedo para vê-la voar e caçar. És tão única, tão bela. Passo o dia a observar-te.

 – E não voas? Ficas o tempo inteiro a observar-me? – indagou Yan.

 – Sim. A grande verdade é que gostaria de voar como tu voas, mas as tuas alturas são demasiadas para mim e creio não ter forças para suportar os mesmos ventos que, com graça e experiência, tu cortas harmoniosamente.

 – Andala, bem sabes que a natureza de cada um de nós é diferente e, isto não quer dizer que nunca poderás voar como uma águia. Sê firme no teu propósito e deixa que a águia que vive em ti possa dar rumos diferentes aos teus instintos. Se abrires apenas uma fresta para que esta águia que está em ti possa te guiar, esta dar-te-á a possibilidade de vires a voar tão alto como eu. Acredita!

E assim a águia preparou-se para levantar vôo, mas voltou-se novamente para o pequeno pássaro que a ouvia atentamente:

 – Andala, apenas mais uma coisa: Não poderás voar como uma águia, se não treinares incansavelmente todos os dias. O treino é que o dá conhecimento, fortalecimento e compreensão para que possas dar realidade aos teus sonhos. Se não pões em prática a tua vontade, o teu sonho será apenas um sonho. Esta realidade é apenas para aqueles que não temem quebrar limites, crenças, conhecendo o que deve ser realmente conhecido. É para aqueles que acreditam ser livres e, quando trazes a liberdade no teu coração poderás adquirir as formas que desejares, pois já não estarás apegado a nenhuma delas, serás LIVRE! Um pardal poderá, sempre, transformar-se numa águia, se esta for a sua vontade. Confia em ti e voa, entrega as tuas asas aos ventos e aprende o equilíbrio com eles. Tudo é possivel para aqueles que compreenderam que são seres livres, basta apenas acreditar, basta apenas confiar na tua capacidade em aprender e ser feliz com a tua escolha!

Nota: para ler com abertura de espírito, nem verdade nem mentira, nem certo nem errado, apenas relacionado com a vida!

250px-Florence_Nightingale[1]

Mais um aniversário! Florence Nightingale deixou como legado, entre outras, a obra sobre Enfermagem – What it is, What it is not.

Por aqui:

Assegurar a qualidade dos cuidados

Consolidar o conhecimento

Garantir a segurança

Promover a saúde

Vencer os desafios

Fomentar os valores que nos regem

Caminhar para a excelência

Pela liberdade responsável, segurança e justiça se assegure a preocupação e defesa da dignidade da pessoa humana.

Votos de dia feliz!

 

2

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver do universo…

Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer,

Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não do tamanho da minha altura…

Fernando Pessoa

O acesso a bibliotecas digitais são uma das mais valias do mundo da internet, como é o caso da Domínio Público, uma biblioteca digital desenvolvida em software livre, onde se encontram obras primas de Leonardo da Vinci, Machado de Assis, entre muitos outros.

Da literatura portuguesa são 732 obras, em prol do desenvolvimento individual de quem por lá passa. Educar e educar-se pela e na cultura.

Hoje, dia em que se comemora o dia da Mãe e o dia do Sol, um pouco de luz para iluminar os nossos passos – um poema, uma pintura – enriquecem o dia e a noite…

Quem tem mãe tem tudo, quem tem filhos também tem tudo!

Mãe, não quero o teu anel,

Nem os teus brincos,

Nem o teu colar de pérolas,

Nem a tua pulseira de ouro.

Quero o teu colo para encosto,

Um beijo no meu rosto,

O teu abraço enorme,

E estas palavras doces:

“Dorme, filho, dorme.”

Campos de Figueiredo

(A Mãe na Poesia Portuguesa; Uma antologia de Albano Martins)

 

A todas as mães votos de um feliz dia!

38


Maio 2009
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Pudera eu ter o dom de um poeta ou músico... para ser capaz de colocar em verso ou melodia o sentimento e o valor de uma amizade!

Flickr Photos

Páginas

Os mais clicados

  • Nenhum