Detalhes e Pormenores

Archive for Abril 2009

(imagem da net)

“todo aquele que percebe de alguma coisa evita tanto o excesso como o defeito, mas procura saber onde está o meio para o poder escolher”

Aristóteles

Anúncios

O que distingue este pequeno planeta, esta jóia de entre milhões de outros mais vastos,

é a capacidade de amar – e cuidar dos outros.

Dar-mos do nosso tempo, a mais generosa dádivas de muitas, pelo que fica em nós!

 

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes entre as culturas ocidentais, cuja origem remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem uma origem religiosa que vem do latim Pascae. Na Grécia Antiga, este termo também é encontrado como Paska, porém a sua origem mais remota – entre os hebreus – onde aparece o termo Pesach, cujo significado é passagem.

 

Alguns historiadores, encontraram informações que levam a concluir que uma festa de passagem era comemorada entre os povos europeus há milhares de anos atrás, principalmente na região do Mediterrâneo, sendo que algumas sociedades – entre elas a grega – festejavam a passagem do Inverno para a Primavera, durante o mês de Março. Geralmente, esta festa era realizada na primeira lua cheia da época das flores. Entre os povos da antiguidade, o fim do Inverno e o começo da Primavera era de extrema importância, pois estava ligado a maiores hipóteses de sobrevivência, em função do rigoroso Inverno que se fazia sentir na Europa, dificultando a produção de alimentos.

 

Para o povo Judeu, esta data assume um significado muito importante, pois marca o êxodo deste povo do Egipto, por volta de 1250 a.C, onde tinham sido aprisionados pelos faraós durante vários anos. Esta história encontra-se no Velho Testamento da Bíblia, no livro Êxodo. A Páscoa Judaica também está relacionada com a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, onde liderados por Moisés, fugiram do Egipto.

Nesta data, os judeus fazem e comem o matzá (pão sem fermento) para lembrar a rápida fuga do Egipto, quando não sobrou tempo para fermentar o pão.

 

Entre os primeiros Cristãos, esta data celebrava a ressurreição de Jesus Cristo. O festejo era realizado no domingo seguinte a lua cheia, posterior ao equinócio da Primavera, a 21 de Março.

Entre os cristãos, a semana anterior à Páscoa é considerada como Semana Santa, sendo que esta semana tem início no Domingo de Ramos, que marca a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém.  

 

Nos tempos que correm, encontramos vários símbolos ligados à Páscoa, por exemplo: a figura do coelho está simbolicamente relacionada a esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho reproduz-se rapidamente e em grandes quantidades.

Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinónimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Egipto Antigo, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.

Tanto no significado judeu quanto no cristão, a Páscoa relaciona-se com a esperança de uma vida nova. Já os ovos de Páscoa (de chocolate, enfeites, jóias), também estão neste contexto da fertilidade e da vida.
A figura do coelho da Páscoa, foi trazido para a América pelos imigrantes alemães, entre o final do século XVII e início do XVIII.

 

Os símbolos da Páscoa, na verdade são um misto de diversas culturas e povos da Terra. O ovo da Páscoa é um exemplo disso. Os historiadores identificam que os ovos de chocolate, os ovos pintados e coloridos, têm a sua origem nas festividades que ocorriam na Primavera, entre os povos germânicos. Quando estes povos se converteram ao cristianismo continuaram as suas tradições, traduzindo os seus significados para a nova religião.

Existem registos de que outros povos também utilizavam ovos, principalmente ovos coloridos pintados a mão, em festividades que ocorriam na mesma época. É o exemplo dos Persas, Chineses, Romanos, Judeus e Arménios. Provavelmente, isto ocorria porque é justamente na Primavera que muitas aves e animais começam o seu período reprodutivo. Isso fez muitos povos vincularem a chegada da Primavera ao momento do nascimento, renascimento e nada melhor para representar isto do que ovos.

O uso do chocolate, só aconteceu muito tempo depois em França, com o surgimento das indústrias de chocolate na Inglaterra e, em outros países. Este aspecto foi influenciado pela igreja cristã, que proibia o consumo de carne animal durante a quaresma, de modo que se tornou mais apropriado presentear as pessoas com ovos de  chocolate e não com ovos de galinha pintados.

Em suma, os ovos sempre representaram a vida.

Desejo de Páscoa Boa cheia de Vida!

 

 

Domenico Ghilandaio

Retrato de mulher jovem

c. 1485

Museu Calouste Gulbenkian, Lisboa

imagem aqui

“A realidade imita a natureza, sem ser dela um mero espelho, e reproduz no pormenor a Beleza do todo (ex ungue leonem, diz Vasari – «pela garra [se conhece] o leão»). Este enobrecimento do simulacro não teria sido possível sem algumas novidades decisivas nas técnicas pictóricas e arquitetónicas: sem o aperfeiçoamento das técnicas de representação perspectiva efectuado por Brunelleschi e a difusão da pintura a óleo entre os flamengos.

O uso da perspectiva em pintura implica, de facto, a coincidência de invenção e imitação: a realidade é reproduzida com precisão, mas ao mesmo tempo sob o ponto de vista subjectivo do observador, que em certo sentido «acrescenta» à exactidão do objecto a beleza contemplada pelo sujeito.”

Umberto Eco

Pela saúde  no mundo e pela segurança dos que prestam e recebem cuidados de saúde, que nunca seja assim:

(imagem da net)

A WHO celébra o dia aqui

(via mail)

(foto net)

Solidão não é a falta que a gente sente para conversar, namorar, passear…

Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar…

Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõem, às vezes, para realinhar os pensamentos…

Isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõem compulsoriamente para que revejamos a nossa vida…

Isto é  um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado…

Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é qundo nos perdemos de nós mesmos e procuramos a nossa Alma.

Francisco Buarque de Holanda


Abril 2009
S T Q Q S S D
« Mar   Maio »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Pudera eu ter o dom de um poeta ou músico... para ser capaz de colocar em verso ou melodia o sentimento e o valor de uma amizade!

Flickr Photos

Páginas

Os mais clicados

  • Nenhum